segunda-feira, 5 de maio de 2008

[Aspie] Aspie Quiz

Foi publicada a tradução para o português que realizei do Aspie Quiz. Ao contrários dos usuais "testes de Internet", este é um trabalho sério conduzido por Leif Ekblad sobre a avaliação de perfis do espectro altista, focado na síndrome de Asperger.

O "quiz" consiste de um sistema especialista baseado em coeficientes de correlação com diversos perfis de neuro-diversidade tais como dislexia, esquizo-típicos, etc... (veja a metodologia em http://www.rdos.net/eng/aspeval/).

Assim como eu, Leif trabalha e pesquisa na área de tecnologia mas tem colaboração com outras linhas, e particular interesse pela síndrome de Asperger (por razões óbvias). Estive me correspondendo com o mesmo, e estou inclusive ajudando livremente em um artigo a ser submetido, provavelmente próximo mês, em uma revista Elsevier de psiquiatria.

Neste ponto, gostaria de convidar a todos (inclusive indivíduos neurotípicos), e principalmente as pessoas diagnosticadas clinicamente com síndrome de asperger, a participar da pesquisa. Quanto mais pessoas realizarem o teste, melhor sua calibração e seu desempenho na análise preliminar de pessoas com a síndrome.

Outro aspecto interessante é que o teste seja repetido ao longo dos anos de forma a avaliar a progressão dos portadores.

Por faver, distribuam amplamente o link para o teste: http://www.rdos.net/br/.

10 comentários:

Campo de Possibilidades disse...

Oi, Fortal. A minha opinião sobre o texto que você me recomendou é esta:

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez." João 1.1-3

Jorge Albuquerque disse...

Interessante o comentário, mas assim fora de contexto é "meio" díficil de saber do que você está falando ("o texto que você me recomendou" é uma referência um tanto vaga, afinal eu costumo trocar muita informação...)!!!

Sinceramente não tenho como saber qual texto te recomendei da última vez... Foi a legislação sobre células-tronco?

Bem... Pela citação desse versículo de João (relativo a criação do mundo), dá pra imaginar que você possa estar falando do meu post sobre criacionismo, mas também posso estar enganado!

Também não dá pra entender claramente sua posição apenas com essa citação: você está dizendo que acredita literalmente no mito da criação do universo?

Se esse for o caso (me corrija se não for), é interesante rever a discussão breve que tive com seu amigo Josué... Pena que ele não me retornou mais, a discussão poderia vir até a ficar interessante, e eu realmente gosto muito quando isso acontece... Nesse caso, te convido a participar, porque creio ser interessante mesmo...

Campo de Possibilidades disse...

Fortal,

Eu moderei porque o assunto foge ao objetivo do blog, o que não impede que tenhamos uma conferência pelo MSN. Sobre o texto, é um sobre criacionismo x evolucionismo.

Eu creio em Jesus. O mais eu creio também. Mas antes, que Jesus é meu Senhor (proprietário) e Criador.

Jorge Albuquerque disse...

Eh, Paulão,

Pois eu tenho uma explicação diferente para sua moderação das referências legais sobre células tronco: acho que você tem vergonha de admitir que questiona a interpretação literal de alguns dogmas em frente a comunidade de discípulos... Ou seja, o seu bom e velho amigo Fortal é uma "verdade incoveniente" com a qual não é interessante discutir certos assuntos em público... :D Uma "Batata quente", enfim...

Pense bem, será que você está faltando em ser sincero consigo mesmo? :D

Fica ai a reflexão...



Na minha cabeça, eu acho que possa ter a resposta para a questão: haver domínios de razão e fé sem que você denha medo de conciliá-los.

No caso em particular do seu comentário:

Deus, Jesus e a salvação exitem e são legítimos? Com certeza, não existe porque duvida disso!

Mas em relação a interpretação literal de Joao 1.1-3, você acredita mesmo que Deus ordenou, dizendo uma série de comandos, e então o Universo, a vida e o homem se materializaram instantâneamente do nada, como por mágica?

Ops... Nesse caso temos uma inconsistência material, porque existem provas de sobra do contrário!

Insistir numa interpretação literal como essa sobre um assunto tão comprovado é complicado, porque mostra abertamente que exite uma forte incoerência na sua forma de acreditar em Deus!!! Tanto você sabe disse que a sua resposta foi bastante evasiva: "Jesus é meu Senhor e Criador..." seria ou não seria um jeito obscuro e velado de dizer "acredito literalmente no criacionismo"?

Algo muito mais coerente é apelar a razão: o homem é um produto da evolução, mas você acredita ter a benção divina. Desta forma, a razão e a fé não se conflitam!!! Absolutamente!!! Observe que você não nega o fato material. Assim, a gênese deve ser entendida não literalmente, mas como uma parâbola a ser interpretada... O mesmo vale para diversos outros trechos da Bíblia (que também constituem em si de impossibilidades físicas mas contêm forte teor e valor filosófico)!!!!

Eu vejo esta como uma crença mais evoluida, porque permite a interpretação do dogma, evitando os erros de generalização absoluta (que é uma das falácias lógicas segundo Platão). Observe: clareza de idéias e de espírito!

Daí um ponto muito importante: se essa é maneira mais adequada de perceber a Bíblia, i.e. pela interpretação, porque esconder esse conhecimento? Porque não discuti-lo abertamente com os todos os demais discípulos? Será que deve existir uma verdade coerente, que você acredita, e outra diferente para ser defendida em público? Será que isso é ser sincero e verdadeiro com você mesmo e os demais? Ou não seria literalmente mentir para si mesmo? Cabe uma reflexão sim... Dai você passa automaticamente a não ter vergonha do seu amigo Fortal... Muito pelo contrário! :D Dessa forma, o diálogo aberto (aberto no sentido de público, visível a todos) passa a ser libertador...



Você pode não concordar comigo, mas particularmente eu acho que a ciência presta um grande serviço a humanidade derrubando a hipótese "design inteligente", porque isso abre uma forte premissa para o total ecumenismo e tolerância religiosa.

Eu vejo da seguinte forma: o "design inteligente" é a mais importante tentativa de criar um prova material da existência de Deus. Sem essa teoria, não existe uma prova material da existência de Deus. Não existir prova da existência de Deus não implica na sua inexistência!!! Ou seja, em termos de lógica, Deus pode ou não existir. Passa a ser uma questão puramente de fé e da verdade pessoal de cada um. Alguns acreditam e estão corretos (a hipotese pode muito bem estar correta) e alguns não acreditam e estão corretos (a hipotese pode muito bem estar errada)! Desta forma, todos estão igualmente corretos e no que acreditar passa a ser uma questão de escolha! Eis onde reside o ecumenismo e a tolerância: não existe prova da existência ou inexistência dos espíritos do espiritimo, dos ourixas do candomblé, reencarnação do budismo, ou qualquer outra coisa. Logo, todas são hipóteses válidas e devem ser respeitadas como tal, assim como a opção de quem quiser tomá-las como verdadeiras... Essa visão induz diretamente a tolerância, ao respeito, a compreensão e a aceitação do diferente, que vejo como coisas muito positivas! Muitas guerras, mortes e atrocidades teriam sido evitadas se as pessoas tivessem essa visão.

Tenho ressalvas explícitas somente contra o espiritismo, porque existem evidências materiais que derrubam a origem espiritual dos mecanimos do copo, mesa girante, e principalmente dos dispositivos mecânicos empregados por Kardec para escrever o livro dos espíritos. Nesse ponto, esse livro deveria ser todo reescrito, de forma que possa ser livre destas influências, pois elas comprometem diretamente seu conteúdo.



Finalmente, creio ter lembrado do texto a que você se refere. Acho que é esse aqui. Foi dificil de lembrar porque o tema dele NÃO é criacionismo. É um artigo de divulgação sobre SOCIOBIOLOGIA. Os estudos nessa área estão progredindo rapidamente, mas não vejo ainda um conjunto de evidências irrefutáveis que valide essas teorias. Particularmente, acho sua implicação muito complicada, e por isso pedi a sua opnião!

Como explicado no artigo, uma das linhas da sociobiologia assume que o comportamento social altuísma (i.e. seja bom com os outros... trate como você gostaria de ser tratado... etc...) são expressões de mecanismos preservação filo-genéticos. Ou seja, estão inseridos na teoria do "gene egoísta". Eu nunca achei essa teoria confortável, ainda mais agora! Isso tem profundas implicações ideológicas porque reduz a evolução dos sistemas morais humanos, e assim toda a filosofia (e a teologia inserida nisso) em uma questão biológica de preservação.

Isso compromete diretamente os meus mais estimados valores humanos. Se isso for verdade, a única entidade inteligente na natureza seria o próprio gene.

Basicamente, a teoria é baseada em análises do problema do jogador com soma-zero. Matematicamente está consistente, mas uma evidência matemática não é tão fiável uma vez que o equilíbrio natural pode ser proveniente de outros estados. Este é o meu consolo!

Em geral, essa idéia realmente me incomoda muito, principalmente por que no fundo me parecem bem coerentes (é uma explicação muito simples para tudo). No entanto, é assustador pra mim pensar que a bondade é só uma forma evoluída de egoísmo. Eu realmente acho reconfortante a ideia que a humanidade pode transceder em alguns pequenos aspectos a sua origem natural, tais como a ternura.


Leia o texto com calma (pelo visto você não leu) e me diga o que você acha!

Jorge Albuquerque disse...

Desculpa, Paulo.

Não tinha reparado quando você disse "O mais eu creio também". Se tiver entendido certo, acho sua visão da questão completamente "redonda"! [Ops!]

Bem, de qualquer forma o comentário acima é interessante. Quando você puder dá uma conferida! :D Olha o tal artigo em relação ao que eu comentei! :D

Ricardo Bassoi disse...

Oi Fortal. Já fiz o meu teste. Depois passa lá no meu blog e vê se eu sou "normal" (se isso existe mesmo).
Aqui vale a pergunta: O que é normal?

Jorge Albuquerque disse...

Grande Bassoi,

O seu perfil indica claramente que você é uma pessoa neuro-típica, ou seja, "normal" no sentido expresso que não possui traços marcantes no espectro autista...

Mas não fique triste!!!! Você ainda pode ser muito bem ser esquizofrênico, maníaco-depressivo, obcessivo-compulsivo, dislexo, hiperativo, ou ainda ter a síndrome do X-frágil (nem me pergunte dessa última)... As possibilidades são infinitas... :D E maluco é o que não falta... :D

No meu caso, num encadeamento incrível de enventos, acabei diagnósticado num serviço como um portador leve de Asperger. Quer dizer, sempre me achei meio deferente, agora sei que sou um pouquinho autista... Será que isso é novidade? :D ehehhehehehe... O mais engraçado é que essa "deficiência" me torna melhor no que eu faço de diversas maneiras... :D

Ademais, muito bom saber de você... :D Como andas? Pai de família e tudo mais??? :D

Pois somente agora inventei de casar, e em função disso, passei para professor na Unicamp e me mudei pra Campinas... :D


Grande abraço..

Ricardo Bassoi disse...

Obrigado Fortal ! Você ainda me deixou com uma esperança que não sou completamente "normal", o que realmente acho que não sou.
Um grande abraço e vamos manter contato.

Jorge Albuquerque disse...

Ei ai, Bassoi?

Legal mesmo falar com vc... A gente não tem contato desde os primeiros anos da graduação, ne?

Você está morando em BH? Sabe quem mais da elétrica eu sei que esta por ai? O Paulo "maluco" (esse era o apelido na época, e esse ai emcima mesmo...) e o Alexsandro...

É sempre muito bom encontrar o pessoal da graduação, agora em Campinas vou voltar a ver muitos deles que ficaram por aqui... :D

Grande abraço!

Spock disse...

Saudações, meu caro Jorge Albuquerque!!!

Eu não quero que o meu comentário pareça uma saga interminável, por isso vou direto ao assunto:

Descobri este teste entre os dias 24 /12/09 e 01/01/10 através de um amigo virtual que pouco tem contato comigo, mas que me pediu para fazê-lo, uma vez que o teste parecia muito ter a ver com a minha personalidade. Em suas exatas palavras, no diálogo que tivemos pouco antes de eu começar o teste, se não me engano por volta das 17h: "Dê uma olhada. Esse teste me fez lembrar de você, rs."
Tentando fazer um breve preâmbulo, os amigos com que tenho mais contato que o acima citado, *sempre* [ok, "sempre" é uma palavra muito forte] fazem referência à Síndrome de Asperger ao tentar me descrever. Até me comparam com certos personagens de séries como Star Trek (Mr. Spock) e The Big Bang Theory (Dr. Sheldon Cooper). Eu não descarto a hipótese de que seja uma série de delírios proporcionado pelas mentes imaginativas deles, mas também não posso negar semelhanças. [Até posso, mas não deveria]
De fato eu tenho vários pensamentos característicos da síndrome, algumas relações comportamentais e até emocionais. Até um Asperger concordou que eu possivelmente seria um. Mas, evidentemente, nem suposições e muito menos meras semelhanças tem caráter *essencialmente* decisivo no diagnóstico de um caso. Sendo esse um dos meus argumentos contrários à idéia de que eu sou portador da síndrome, não que isso seja um problema. O fato de descobrir se sou ou não, teoricamente não mudaria em nada, afinal não faria sentido mudar. Portanto não encaro como um problema.
Mas depois de tanto eles insistirem, eu pensei em procurar alguma coisa a respeito.

Sobre o teste:
Eu não sei se deveria falar do resultado do teste por aqui, porque notei que ninguém o fez. No entanto percebi que uma das pessoas provavelmente usou aquele código que é gerado ao final do teste e postou num lugar de acesso público. Então creio que não há problema, ao menos não pra mim, de postar o resultado aqui. Sendo assim, no meu .pdf ficou:

Seu índice Aspie: 138 de 200
Seu índice neurotípico (não autista): 59 de 200
Você é muito provavelmente Aspie (portador da síndrome de Asperger)


Eu gostaria de discutir a respeito disso, se é que há algo a se discutir.


No mais, um abração!