sexta-feira, 18 de abril de 2008

[Música] A última dança

Eis uma pérola do tempos da república! Como estou "de molho" estes dias, acabei por fazer esta pequena colagem no movie maker com alguns vídeos do youtube! Para o bom saudosismo de todos! Muita depressão e melancolia numa melodia simplesmente delicada (cortesia dos gênios Paulo e Alex). Grande abraço a todos e muitas saudades! [enjoy!]





A última dança

Os olhos da morte fitaram os meus de tao perto...
Eu fiquei sem jeito...
Toquei nos lábios dela com o dedo do silêncio.
Ao toque de lábios tão frios
Bailamos pela noite adentro
E de tão perdido, no vazio,
eu esqueci do tempo
E dos resquícios de vida que ainda havia em mim. . .
havia em mim. . .
havia em mim. . .
havia em mim. . .


Bailando com a morte no salão do mundo
Eu perco a vida de vista e me Afundo. . .
E me Afundo. . .
E me Afundo. . .

Letras: Paulo Rocha
Música: Alex "Brasil"
Arranjo: Porque Neuma!
Disco: A pergunta que não quer calar (2001) [independente]







4 comentários:

Campo de Possibilidades disse...

Fortal, fico feliz porque vc é amigo ;-) Mas a verdade é que essa letra é uma droga. Retire toda a retórica e estilo e sobra o pó. Esse é o lugar dessa música para mim. Como se eu achasse legal "bailar" com a morte naquela época... Nem hoje! Por isso que eu anseio que vc tb conheça Jesus. Sem Ele a vida é uma procura vã pelo sentido. Tb não cuspo em todos os pratos que comi, algumas das letras que fiz são verdadeiras e gosto ainda (só precisam de um retoque). De qualquer forma, valeu a experiência, não é? Errando, aprendendo e procurando não cometer o mesmo erro. Abração.

Jorge Albuquerque disse...

Oh, Paulão!! Eu considero essa letra um obra prima, mas tudo (como tudo na vida) é uma questão contextualização...

Olha só...

No episódio "Homerpalooza" dos Simpsons, o Homer encontra os Smashing Pumpkins: "Vocês são a banda que deixam os adolescentes da américa deprimidos?? Humpf!!! Como se isso fosse difícil!".

É isso ai!

Na época em que você escreveu essa música melancolia, desilusão, depressão, descassos amorosos eram coisas marcantes no dia e dia, e por isso mesmo, legais!!! Assim como a violência pré-adolescente também! Isso é típico da etapa de maturidade.

Hoje chegamos aos 30 anos e temos outra consciência do mundo: o que nos interessa mais é a busca da felicidade (e não da melancolia). Eu te entendo, e também sinto meus interesses e percepções completamente alteradas.

Mas eu vejo essa produção como o produto de uma fase. E dentro do contexto desta fase está simplesmente perfeito: "flertar com a morte" faz parte da juventude. Neste escopo está encher a cara, se drogar, andar com mulherada questionável, etc. Embora seja realmente auto-destrutivo, acho que essa fase faz parte da construção do caráter. O problema é que deve haver uma evolução.

Neste aspecto, meu bom amigo, creio que eu e você continuamos na estrada da vida: sempre a progredir. O que é excelente! Mas acho que a memória nostálgica deste passado de juventude "transviada" (até que fomos bem comportados!) não deve ser simplesmente descartada... Afinal foi parte das nossas vidas, e é parte do que eu e você somos hoje... :D

Campo de Possibilidades disse...

Imperdível: http://oindividuo.com/2008/04/23/the-richard-dawkins-rap/

Jorge Albuquerque disse...

Em verdade, não curti muito! Acho muito complicado incutir na "molecada" uma desvalorização ao legado e o método científico!

Bem... Quando eu digo que não tenho religião, isso é uma meia verdade! Só não é uma mentira completa porque eu realmente não consigo considerar minha religião uma religião. Tenho total convicção num modelo moral/filosófico denominado humanismo secular. Dentre os princípios (bom o resumão deste portuga!) desta "crença" está a luta pela liberdade de expressão e livre arbítrio. Ou seja, todos tem o direito inalienável de expressar e discutir abertamente qualquer linha de pensamento (i.e. tudo deve ser considerado e discutido). Tal perceito define o não-repúdio de todas as religiões e de suas respectivas escrituas sagrados em sua escência básica enquando instrumentos de crença individual (e.g. Bíblia, Livro do Mórmon, Torah, Alcorão, Cabala, Analectos, Abistecos, roteiros do Start Trek, Dungeons & Dragons, etc).

No entanto, tais "linhas de pensamento" (i.e. fundamentalismo religioso) devem ser ativamente contestadas quando:
a) Incitem a violência: e.g. conflito palestino.
b) Impuserem a exploração social/econômica do indivíduo ou a perda de sua qualidade de vida em proveito evidente de terceiros: e.g. instituições que induzem doações ou cobram dizimos (principalmente de pessoas com um salario ou menos) sem apresentar demostrativos de usos e fontes abertos que mostrem claramente o uso do dinheiro - Igreja Universal, etc.
c) Travestirem informações como científicas de forma a obter credibilidade: e.g. Espiritismo, Design Inteligente ou novo criacionismo, cientologia, homeopatia, radioestesia, e demais pseudociências esotéricas.
d) Contrangirem os direitos individuais de terceiros (inclusive liberdade de crença): e.g. qualquer credo que considere o seu como único e seja intolerante ou discriminatório aos praticantes dos demais.
e) Promovam a desinformação com fins de proveito próprio: e.g. livro "O Homem não pisou na Lua" de André Mauro. Livro "Foram os deuses astronautas?" de Erich von Däniken, etc.
f) Incidam na separação entre estado e igreja: e.g. pressão contra pesquisa de células tronco no Brasil.

Um exemplo típico disso é esse vídeo ignóbil baseado na "obra" de André Mauro. Quanto vi fiquei revoltado, porque ele praticamente redefine a física para se promover, causando um grande deserviço a humanidade por gerar uma enorme desinformação. Livros tiveram de ser escritos para repudir esse cara.

O seu vídeo tem a mesma natureza. Foi realizado por algum criacionista tentando ironizar com o legado de Darvin. Neste ponto é triste, apesar de lúdico e com um rap muito bem sacado!

Neste ponto, tenho de sequir meus preceitos e categoricamente dizer que, embora você possa muito bem acreditar no criacionismo, deve saber que não é uma verdade científica e não existe nenhum indício material de sua existência. A teoria da evolução, por sua vez é um modelo tão concreto quando a relatividade ou a física newtoniana, e.g. hajam vistam os algorimos genéticos. Acho que nada mais visual neste sentido do que o projeto golem (excelente para leigos).

E o fundo do poço é obtido por gente como esse cara!. Observe claramente o uso das escrituras bíblicas para promover a desinformação. Realmente muito complicado! Isso deve ser questionado ampla e abertamente e descontruído pelo dialógo (sobre método de Platão, i.e. indução ao questionamento e pensamento crítico) de forma a causar o mínimo de estrago! É nossa obrigação para com o bem estar da humanidade!